Se seu comentário não aparecer de imediato é porque eles são publicados apenas depois de serem lidos por mim.
Isso evita propagandas (SPAM) e possíveis ofensas.
Mas não deixe de comentar!

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Dica de Desenho: Avatar - A Lenda de Aang

Tenho assistido muita coisa nessas férias, mas nada foi tão legal quanto assistir ao final dessa série.A série começou a ser exibida em 2005 no canal a cabo americano Nickelodeon e terminou agora em 2008.

Se correr ainda dá pra pegar o final na
Globo.

Foram 61 episódios de humor, companheirismo, lutas, decepções, descobertas, traições, amizade, romance e um desenvolvimento e evolução jamais visto em personagens de um desenho animado norte-americano. Pelo menos por mim.

No Japão isso acontece há quase 40 anos nos Animês (como são chamados os desenhos locais), mas dificilmente acontecia na televisão de origem americana. E eles se superaram dessa vez. Tanto que muita gente acredita que Avatar é um desenho japonês e não americano.

Tá certo que o desenho foi todo animado por orientais, mas seus idealizadores, criadores e quase todos seus escritores e dubladores orinais são americanos.

E essa foi a grande jogada da Nickelodeon, apostar na qualidade superior de animação da terra do sol nascente pra fazer uma grande aposta em sua grade. Viva a globalização!

Imagino que o desenho tenha nascido como uma resposta aos animês e mangás que invadiram em peso a cultura ocidental de uns 10 anos pra cá.

Difícil você acompanhar crianças e adolescentes hoje em dia sem que conheça algum herói japonês lutador atormentado por desafios a princípio intransponíveis, mas que se fortalece a medida que a história passa e acaba superando tudo por causa da determinação, do amor e amizade de seus companheiros.

Avatar é bem assim.

Antigamente o mundo era divido em quatro nações: a Nação do Fogo, a Tribo da água, o Reino da Terra e os Nômades do Ar. Algumas pessoas nascidas em cada nação podiam ser treinadas para dominar mentalmente seu elemento de origem.

Mas hoje o mundo está diferente. A Nação do Fogo começou a 100 anos uma guerra que está ameaçando o equilíbrio do mundo.

Quase todas as tribos da água foram dizimadas. O reino da terra persiste mas só restam poucas cidades livres e a capital. E os Nômades do Ar foram completamente extintos.

Cabe ao Avatar, um espírito que encarna uma vez a cada geração para guiar a humanidade com sabedoria ao mundo espiritual, trazer o equilíbrio de volta. Mas ele sumiu sem deixar vestígios há quase 100 anos.

Aang é um garoto-monge de 12 anos que ficou congelado num iceberg por um século até ser libertado por uma casal de irmãos que moram no gelado pólo sul.

Aang é um dominador de ar. Pode dobrar o vento a sua vontade para planar, saltar, correr e, principalmente, lutar utilizando rajadas e outras formas mais complexas para atingir seus inimigos numa base que lembra muito o kung-fu chinês e outras formas de luta orientais.

Acontece que Aang também é o Avatar, o único humano que pode controlar todos os quatro elementos.
O problema é que ele, antes de ser congelado, só tinha aprendido a controlar o ar.
O casal de irmãos Sokka e Katara fazem parte de uma tribo denominada Tribo da Água do Sul e, ao descobrirem que Aang é o Avatar, se comprometem a ajudá-lo a aprender a dominar a água, a terra e o fogo para que possa acabar com a guerra começada pela Nação do Fogo a 100 anos.

Aang é o último nômade do ar vivo. E, além de ser o último de seu povo, ainda recai sobre ele a responsabilidade de salvar o mundo. Será que é muito pra alguém de apenas 12 anos? Com certeza.

A princípio Aang só quer saber de se divertir com seus novos amigos, mas a medida que a história passa ele observa o mal causado pela guerra e também o poder que a esperança trazida pelo seu retorno desperta nas pessoas.

Demora um pouco, mas ele acaba assumindo seu destino. Porém, mesmo se convencendo de que tem que salvar o mundo, isso não quer dizer que vai ser fácil.

A série teve três temporadas a cada uma delas foi nomeada como livro.
O Livro 1: Água tem 20 episódios em que Aang é revivido, viaja com seus amigos, visita várias cidades, conhece o terror da guerra, interage com pessoas boas e más de ambos os lados, é abordado por antigos amigos (alguns vivos, outros não), é caçado constantemente pelo príncipe de 16 anos Zuko, o herdeiro do trono da Nação do Fogo, além de aprender junto com Katara o domínio da técnica de dobrar a água.


O Livro 2: Terra tem mais 20 episódios em que Aang e seus amigos se juntam a Toph, uma menina cega de 12 anos mestra em domínio de terra, que vai tentar ensinar ao Avatar sua técnica.

As coisas ficam mais complexas e eles começam a tentar parar a guerra tentando de todo jeito chegar a capital do reino da terra, a cidade murada de Ba Sing Se, onde as coisas nem sempre são o que parecem.

Testemunham também o príncipe Zuko ser caçado por seu próprio exército e fugir vivendo disfarçado com seu sábio e misterioso tio Iroh, um antigo general da nação do fogo que sofreu uma grande transformação ao ser derrotado e perder seu filho anos atrás nos muros de Ba Sing Se.O Livro 3: Fogo é o último e tem 21 episódios. Começa com um Aang ferido quase mortalmente após enfrentar a irmã de Zuko, a fria e calculista Azula, princesa da Nação do Fogo e uma das poucas dominadoras de fogo que conseguem evocar o relâmpago, uma forma mais refinada de domínio de fogo.

Aang ainda tem que encontrar um professor de dominação de fogo e seu grande dilema é descobrir o que fazer quando enfrentar o Senhor do Fogo.

Será que um monge treinado pra perdoar, ser tolerante, amoroso e compreensivo seria capaz de matar? O final é bem interessante.
As lutas bem próximas a estilos reais de arte marcial é uma das coisas que mais me atraíram na série a princípio.

Alguns anos atrás tive alguma experiência com Tai Chi Chuan, uma forma meditativa e não-agressiva de kung-fu, e reconheci vários movimentos do Tai Chi logo na abertura dos episódios.

Outra coisa interessante é observar a evolução dos personagens.

Sokka começa como um adolescente preconceituoso e medroso e acaba se tornando responsável, tolerante e, apesar de não manipular elemento algum, vira um valioso espadachim e estrategista, sempre tendo idéias melhores das de Aang e Katara.
Katara é uma dobradora de água puramente instintiva e um pouco apagada no início, mas ao arrumar um professor pro Aang, se torna forte e valorosa mostrando sua força diversas vezes chegando, no decorrer da série, a manipular a água de plantas, de seu próprio suor e, até mesmo, do sangue dos outros.

Bem legal.

Mas Zuko é quem mais muda.

No livro 1 ele era apenas um príncipe mimado, banido e bastante convencido de sua própria superiodade, que achava que recuperaria sua honra se capturasse o Avatar, mas a convivência com seu tio Iroh o faz perceber que honra não tem nada a ver com fazer mal a pessoas e sim fazer bem aos outros e a si mesmo. Uma grande lição de vida.

Mas muita coisa acontece até ele entender isso somente no livro 3.Resumindo tudo: Avatar - a Lenda de Aang é um desenho animado americano que bebe diretamente de fontes de filosofia oriental e contém grandes lições de compaixão, amor a vida, amizade e responsabilidade, intercalados com humor no estilo pastelão (característico do principal púlbico-alvo de 12 anos) e ótimas cenas de luta que não devem nada a filmes como Matrix ou O Tigre e o Dragão.
Com certeza é algo que passaria para os meus filhos. RECOMENDADÍSSIMO!

Valeu!

4 comentários:

Raiany disse...

muito bom!
me deixou a fim de
assistir Avatar!
vc escreve bem!

Bela18 disse...

Essa série realmente é muito boa. Não sei se reparou , mas durante as lutas os oponentes quase não se tocam, o que considero bastante interessante.
De qualquer forma, a filosofia imbutida na história faz da série mais que um simples "desenho animado", faz dele uma inspiração cultural e divida.
Arnaldo, você não poderia descrevê-lo melhor!!!

Ana claudia disse...

Adoooooooooooro Avatar... Comecei a assistir quando um dia chegando em casa meu sobrinho de 9 anos me perguntou o que significava AVATAR.
Eu expliquei a ele sobre a origem da palavra:
do Sânsc. avatar, descida do céu
designação genérica das encarnações divinas
reincarnação, metamorfose.
Avatar é a imagem que você escolhe - e que considera adequada - para a representação da sua identidade perante os outros.O corpo físico...
Quando ele me explicou que era um desenho, não pensei duas vezes em querer assistir.Como assim um desenho que fala de reencarnação??? Na nick??
Bom, sou apaixonada pelo desenho e agradeço ao meu sobrinho e sua curiosidade iluminada!
Sobre a sua descrição do " anime" foi perfeita e bem detalhada.Ficaria horas falando de cada um dos personagens, principalmente do tio Iroh e Zuku.
valeu Duda!!!!!

Rodrigo disse...

só esqueceu de mencionar o saudoso Mako. que dublava o tio iroh e faleceu antes do fim do seriado em meados de 2006, que foi homenageado no episódio "histórias de ba sin se".
Mako participou de vários filmes de sucesso como: "Conan, o destruidor e o Bárbaro", "Robocop 3", "memórias de uma gueixa", "o monge á prova de balas" e seu último trabalho nos cinemas foi a voz do mestre splinter em "as tartarugas ninja, o retono".

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Tweet